Pai, um beijo da sua filha Bambu

Hey gente!!!

Nesse Dia dos Pais, antes de falar qualquer coisa, quero deixar meu carinho a todas as garotas livres que não podem abraçar seus pais nessa data, por qualquer motivo.

E quero usar esse post pra duas coisas: a primeira, é deixar uma homenagem para o meu pai; e a segunda, é contar sobre uma homenagem que ele me fez.


A minha homenagem: 

Dad (papai em inglês),
Talvez essa minha facilidade em chamar Deus de Abba (papai em hebraico) venha de você! Venha da nossa relação!
E não importa os erros e acertos que você comete como ser humano.
Só de você me fazer este favor – de me aproximar de Deus, como Pai – acho que você já cumpriu o seu papel!

Sabe a expressão “céu na terra”? Acho que ela significa Deus se manifestando aqui, entre nós, de uma forma palpável. Para isso, Ele usa as pessoas para transmitirem seu amor.
E uma das formas dessa transmissão de amor acontecer, é por meio de algo sobrenatural, Divino, que é a Paternidade.
Então, apesar da humanidade que há em você, eu sei que você traz o céu pra mais pertinho da minha terra-coração.
E trazendo o céu, eu consigo sentir o AMOR (Deus), e isso me faz amar!
Ou seja… Pai, você me ensina a amar.
Você me ensina minha missão… Pai…você é Pai!
Obrigada.

❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤  ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ 

A homenagem dele

Aconteceu este ano, no meio do chá de lançamento do Espaço Garota Livre.
De repente, meu pai pediu a palavra e fez um rápido discurso para mim e meus convidados. Foi emocionante. Nas fotos aí embaixo, dá pra ver que eu vou ficando com um semblante choroso… rs…
Ele estava orgulhoso de mim e me chamou de B-A-M-B-U.
Vou explicar o que isso significa.

Meu pai disse pra gente que eu tenho a mesma estrutura de um bambu. É que o bambu tem raízes que vão lá no fundo da terra (profundas mesmo!) buscar nutrientes e umidade para sobrevivência. São raízes que crescem na horizontal e na vertical, criando uma base firme, como se fosse um alicerce para enfrentar as dificuldades.
Tanto é que o bambu passa por tudo: tempestades, furacões, e permanece firme.
Meu pai disse que sou assim: passo por turbulências, e até caio, mas me levanto.
E só consigo fazer isso porque tenho uma base resistente como o bambu, mas, ao mesmo tempo, sou flexível como o bambu também é.
Não é lindo?

Por essas e outras… obrigada de novo, Pai!
Feliz Dia pra você hoje… e sempre!

Isabele.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *